Pular para o conteúdo principal

Poesia de Gaveta

Reciclando o tempo

Quantos mistérios o tempo pode guardar?
Quantos segredos ele pode revelar?
O dia passa,
A vida corre
E você aí,
No mesmo lugar

Quantas tristezas o tempo pode superar?
E quantas almas desse mundo vão se salvar?
As feridas estão abertas
Muitos tics
Vários tacs
Pra fazer cicatrizar

Quantas mentiras foram ditas?
Quanta crueldade esse mundo suportou?
Economize hipocrisia,
Poupe sua energia
Use bem o tempo que te sobrou

Menos mortes,
Mais ação,
Menos cortes,
Mais tesão,
Chega de rotina
E de recortes de jornal
Pois viver de reação
É antecipar o funeral
Mais amor no coração
Não vai fazer nenhum mal

O tempo é subjetivo
Pessoal e impiedoso
Não perdoa o velocista
Nem tampouco o vagaroso
No começo ou no final
Um segundo passa igual
Quem viveu, viveu!
Quem não, viveu também!
Pois mesmo se você o esqueceu
O tempo não esquece de ninguém

Vamos reciclar o nosso tempo,
Nos deitar com um alento,
Acordar com bom senso,

E viver enquanto ainda há tempo!
Resende, Gabriel
23/12/2016


La persistencia de la memoria, 1931
Salvador Dalí




Comentários